sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Wilsinho 2 anos atrás

(se quiserem, leiam em www.joaobatistadeandrade.blogspot.com
Dia dos pais. Sem temor, uma dose controlada de emoção, me vi às voltas com as possibilidades da vida e da morte. Eu me perguntava que coisa, que fato, que pessoas eu teria pena de deixar. Pensei nos filhos, me emocionei revendo-os ainda pequenos, vivendo comigo as aventuras costumeiras, praias desertas, matas, viagens... Pensei nos netos queridos, criaturinhas de puro amor que são o melhor da humanidade. Sim, eu sentiria grande dor em deixá-los. Mas uma lembrança forte sacudiu minha cidadela familiar: Wilsinho, Wilsinho Galiléia. O personagem de meu filme que tem seu nome. A saga trágica de um menino de periferia em busca de alguma alegria e de prazer, tentação que o levou ao crime e também à morte aos 18 anos, fuzilado pela polícia. Meu filme, de 1978, longametragem (documentário com alguns atores) era a pergunta: o que fez daquele menino, preso um dia por roubar uma fruta na feira, - o que fez dele um bandido violento ainda adolescente. O filme passaria em dois programas do Globo Repórter ( que, nos anos 70 era de cineastas brasileiros). E FOI PROIBIDO PELOS MILITARES. Exibido 24 anos depois, em 2002, fez sucesso entre a crítica, homenageado em vários festivais internacionais. Mas o povo brasileiro não viu o filme. Isso ainda me causa muita dor. Agora, nesse pequeno balanço, digo que quando partir levarei essa dor e a dor diante dessa tragédia brasileira. E uma pena lacrimosa do menino Ramirinho, irmão de Wilsinho que está no filme numa cena tocante, a mãe tentando salvá-lo da perseguição policial, pedindo a ele que olhasse para a minha câmera e dissesse que não era bandido, que queria estudar e trabalhar...Gaguejando de pavor, Ramirinho repetiu as frases ditadas pela mãe...Adiantou nada. Poucos meses depois Ramirinho morria numa perseguição policial. Tinha 12 anos.
CurtirMostrar mais reações
Comentar
9 comentários
Comentários
Ivan Capúa agora eu quero ver. como faço?
Joaquim Mattar Feliz Dia dos Pais João Batista Andrade
Maria Cancella parabens pelo dia dos pais! Agora sei tbem o quanto seus filhos artisticos fazem parte de suas alegrias e dores. Mas vai ai uma dica: não fique preso nas coisas que já foram elas nos aprisionam e não deixam sairmos para as possibilidades. Claro que são e foram importantes pois fazem parte de nossa história. A história do Wilsinho
Amair Campos Estes são nossos filhos da dor,esta dor de olharmos o mundo com íris sensíveis.Um abraco pelo dia dos pais.
Regina Perez Quero lembrar que por ser a caçula da família aproveitei muito essas viagens em praias inexplorada, peixe na telha... Até mesmo o gosto por estar na mata e encontrar uma orquídea. E são essas coisas simples que você fez, que marcam e que ainda me emocionam. Muito legal, democráticos e ecológicos esses passeios. Obrigada pelasnos proporcionar essas belas experiências.
Regina Perez Em tempo parabéns pelo dia dos Pais
Maria Yuma Lindo texto da nossa sempre triste realidade!

Nenhum comentário: