quarta-feira, 3 de abril de 2013

sinal dos tempos

Bom dia, amigas e amigos. Andei meio arisco, catando bolas do lado de fora da rede. Sonhei que meu céu desabava, perdi o sono, minha irmã de longe enviou-me um pensamento, "isso é bobagem". Devolvi, "obrigado, mana". O ceu não desabou mesmo, Dag tinha razão. E a experi~encia me alentou: comunicar-me sem fios. Fui mais longe, desfazendo fazeduras incômodas da humanidade. Confiar no fio de bigode, andar sem talão de cheque, sem cartão, fiar o café da manhã no bar da esquina e ainda perguntar o resultado do futebol. Em todo caso peguei o celular, duas da manhã e liguei para vários amigos. Claro, eu os acordei, mas precisava ouvir deles que eram mesmo meus amigos. E dizer que havia sinais claros dos tempos. Que tempos? - bom, isso é assunto para mais tarde. Sou mineiro, nada de entregar tudo numa só bocada.

Um comentário:

maria hilma nery disse...

Mineiro é esquisito mesmo. Difícil lidar consigo mesmo, imagina com os outros. Voltei a deliciar-me com tuas mineirices. Gosto muito. Maneira mineira minha.